quinta-feira, 4 de junho de 2009

Manipur a jóia vaishnava.

Deidades de Sri Sri Radha Krishnacandra no templo da ISKCON Imphal, na minha opinião uma das mais lindas no mundo com roupas tipicas da dança manipuri.


















Templo de Govindaji em Manipur.













A Índia é um país muito vasto com uma cultura das mais variadas no mundo, um dos poucos pontos em comum nesta bagunça é a religião.
E existe um local escondido onde o culto de Krishna e Radha é tão forte que deve desbancar só Vrindavana, muito longe das rotas de turismo além da bengala e Bangladesh esta um estado de Manipur ou a cidade das jóias no estremo nordeste da Índia.
Esta região, habitada por muitos grupos tribais e tem como povo principal os chamados meitei de origem birmadesa e olhinhos puxados, a região já era citada no Mahabharata e o hinduismo lá é muito antigo lá onde seguiam uma corrente hindu chamada sanamahi que era mais centrada no culto a Shiva, mas outras deidades sempre estiveram presentes, além do culto a ancestrais divinizados e deidades locais ligadas a natureza.
O vaishnavismo chegou com mais força a partir do século XVII na forma dos Gaudya vaishnavas (Gaudiya Vaishnavism ou seguidores de Sri Krishna Chaytania Mahaprabhu) oriundos da Bengala onde foi adotada pelo povo, mas sem deixar de lados antigas práticas e divindades (chamadas Lais) ainda adoradas nos seus templos por sacerdotes e sacerdotisas chamados maibas (M) ou maibis (F) que são na grande maioria vaishnavas.
Um estado de muitas antigas tradições na dança e nas artes marciais além de ser o local onde foi criado o jogo de pólo. Mais hoje é mais conhecido pelas danças clássicas como o pong-cholom “dança dos tambores”, sankirthana “dança e canto em honra a Radha e Krishna, Goura –lila que narra a vida de Sri Chaytania Mahaprabhu e a mais aclamada de todas a Rasa-lila que revive a Rasa-lila entre Krishna e as Gopis( pastoras) de Vrindavana e é geralmente encenado nos templos onde dura noites inteiras de performance, a dança sempre é primeiramente encenado no templo de Radha Govindaji na capital Imphal e só depois executada em outros locais.
Enquanto o pong-cholom preza o malabarismo e a força masculina com saltos, pulos e piruetas realizadas enquanto os músicos tocam tambores chamados mrdanga a rasa-lila é mais leve e abusa de gestos suaves, diferente das outras danças clássicas indianas os dançarinos não usam guizos nos tornozelos e não batem com os pés no chão, mas ainda assim segue os ditames do Natyashastra, o livro sagrado que tratam das artes performáticas na cultura védica, os movimentos são leves e líricos, com ênfase a cabeça e aos movimentos com as mãos (mudras), as roupas são especiais e no caso das gopis os movimentos dos pés não são percebidos por causa da indumentária, além dela usarem um véu diáfano sobre os rostos.
De inúmeros festivais que existem na região os mais importantes são Janmasthami (nascimento de Krishna), holi (a festa das cores também ligado ao culto de Krishna) e o Lai Haraoba um festival onde o canto e a dança são executados durante três dias em honra as deidades locais ( os Lais).
O lado negativo do estado é que existe uma guerrilha separatista que causam muitos problemas e atentados (como um ocorrido no templo da ISKCON durante um festival de Janmasthami no ano de 2006 que acabou com a morte de quatro pessoas, incluindo Swarupa Damodara Swami, e vários feridos na maioria crianças que dançavam a Rasa-lila no momento da explosão) fazendo que seja necessário um visto especial para visitar a região.
Rezamos para que a paz cheque logo a região para que a lilá de Radha e Krishna seja sempre encenada nos palcos e nos corações do povo de Manipur, nas fotos abaixo varios aspectos de Manipur.











Acimaforma de Durga adorada em Manipur e abaixo deidades de Jagannatha, Baladeva e Shubadra em carro de Ratra Yatra.


Aspectos da dança Rasa-lila










RatraYatra (acima) e deidades locais.


Nas ultimas fotos jovens meiteis, passeio de Radha Govindaji em barco de dança das mrdangas.
video

Nenhum comentário:

Postar um comentário